Marcia Auriani

55 11 99174.7279

Empreendedor: uma vocação?

Por Alessandro Saade – Artigo 17 – 11/05/2013
image

Invariavelmente, em algum momento da vida profissional, cedo ou tarde, uma enorme parcela das pessoas sentirá uma grande vontade de empreender. Seja dentro da empresa, como funcionário (intraempreendedor), ou seja, se arriscando um pouco mais e montando um negócio próprio.

 Começa com uma energia boa, que contagia e as pessoas à sua volta, e o leva por diversas experiências, algumas muito boas, outras nem tanto, mas todas extremamente válidas. Ao longo da jornada, sempre fica uma cicatriz, que vai simbolizar sua experiência, sua sabedoria, sua jornada.

Depois torna-se um chamado, uma vocação, onde você sente que precisa dividir com as pessoas suas crenças, habilidades, diferenciais, produtos e serviços. Só entende quem já passou por isso. 

Então, se você já abriu ou está pensando em abrir um negócio próprio, não deixe de levar em consideração os  P’s do empreendedor:

PERÍCIA: Saiba o que  e como fazer.

Você tem experiências anteriores como empreendedor? Já gerenciou pessoas? Sabe delegar? É importante saber pensar estrategicamente além de ser somente um grande executor. As duas habilidades são muito valiosas, mas sozinhas, sobrevivem por muito pouco tempo. 

PLANEJAMENTO: tenha sempre um plano de ação.

Simule cenários otimistas e pessimistas. Conheça o mercado onde está entrando, seus concorrentes, quantas lojas existem na região onde atuará, etc… Verifique todos os recursos disponíveis: dinheiro, pessoas, conhecimento, tempo, relacionamento, etc… Dinheiro não é a única variável importante.

PRUDENCIA: Espere pela hora certa de entrar no mercado.

Muitas vezes somos obrigados a interromper um projeto em virtude de mudanças conjunturais como política ou economia que oscilaram demasiadamente. Espere. Talvez seja necessário até redesenhar o negócio para que volte a ser viável.

Tente saber se esse segmento existe em outros estados ou países. Levante informações como quanto tempo durou, se ainda existe, se evoluiu para outro tipo de negócio.

PACIÊNCIA: Todo negócio tem seu prazo de maturação. Aceite e respeite isso.

Seja paciente. Pesquise quanto tempo as empresas já estabelecidas no mercado demoraram para decolar e quais os principais obstáculos. Assim você pode evitá-los.

Não seja ansioso. A ansiedade está relacionada com insegurança e se o seu plano de negócios está bem feito, não tem razão para isso. Você tem um plano de negócios, não é?

PERSEVERANÇA: Insista e  persevere. Seja determinado.

Nenhum negócio termina na primeira venda mal feita. Muitas vezes nos desiludimos por um grande negócio que não fechamos ou pela demora na construção de uma sólida carteira de clientes. Se serve de consolo, para ser sólida, a carteira deve ser construída cuidadosamente, para que não venha a ruir com a empresa a pleno vapor. Nada acontece em menos de um ano. Assim, esteja preparado para se motivar por longos 365 dias, pelo menos.

Bem agora é com você: canalize a energia e vá em frente. E claro, tenha cicatrizes!

imageAlessandro Saade: Mestre em Comunicação e Mercados pela Fundação Casper Líbero (SP) em 2002, MBA em Marketing pela ESPM (SP) em 1992, Graduado em Administração e Empresas pela Universidade de Vila Velha (ES) em 1990, além de diversos cursos de atualização profissional, entre eles Inovação pela UC Berkeley (CA/USA) e Empreendedorismo pelo BABSON College (MA/USA). Ao longo de sua carreira, Prof. Saade exerceu vários papéis, entre eles o de Consultor, Executivo, Professor, Articulista, Palestrante e Estrategista, sem nunca perder o eixo Empreendedor. Foi premiado com o Top Social 2005 da ADVB e eleito Empreendedor Educacional do Ano 2005, pela Associação Comercial de São Paulo. Autor e colaborador em diversos livros, também é articulista da Rádio BandNews FM e da revista Música e Mercado.

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *